10ª Sessão da Assembleia Popular Horizontal de Belo Horizonte - 13/07/2013

10ª Assembleia Popular Horizontal de Belo Horizonte
13.07.2013, às 15h

Pauta: Informes, avaliação das ultimas duas semanas (ocupação, APH, reuniões com os governantes e 8 Grande Ato), discussão sobre futuras estratégias e deliberações.

INFORMES:

1) Reuniões GTs:
1.1) GT Disseminação das Assembleias, 15 de julho, 19h, debaixo do Viaduto Santa Tereza.
1.2) GT Reforma Urbana, 15 de julho, 19h, Escola de Arquitetura da UFMG
1.3) GT Mobilidade Urbana, 16 de julho, 19h, Escola de Arquitetura da UFMG
1.4) GT de Saúde, dia 16 de julho, 19h, debaixo do Viaduto Santa Tereza (a confirmar).
1.5) GT de Educação, dia 17 de julho, 19h, no Sind Rede
2) Representante dos Feirantes do Mineirinho agradece a APH por abraçar a causa deles e informa que a reunião com o governador será realizada 18 de julho na cidade administrativa para discutir realocação da feira. Fez convite também para o piquenique dos feirantes no dia 14 de julho, às 9h.
3) GT Meio Ambiente convida para debate sobre marco regulatório da mineração, quinta-feira, 18 de julho, na praça Fica-Ficus, as 19 horas.
4) Convite para evento no Mercado das Borboletas, 16 de julho, às 20h, R$5,00, que terá a participação do Maracatu de Recife e outros grupos.
5) Grito dos Excluídos terá esse ano a juventude como tema. Convite para o Seminário do Grito, dia 3 de agosto (local a ser divulgado) e para a Reunião de Construção do seminário, dia 15 de julho, na Rua Além Paraíba, 20, bairro Lagoinha.
6) Convite para o Dia de Luta das Mulheres Latinas e Caribenhas, dia 25 de julho às 15:30, na Praça Sete.
7) Coletivo Margarida Alves informa a importante vitória ao conseguir que Ministério Público proibisse que pertences de moradores de rua sejam tomados por policiais e agentes da prefeitura. Pede que contribuamos com a divulgação da noticia a todos e principalmente aos moradores de rua, para que as denuncias sejam feitas.
8) Informe de que a Reitoria da UFMG já esta ocupada há 18 dias, pautando discussões sobre estrutura da universidade. Convite para agregarmos e fortalecermos o espaço.
9) Informe sobre uma manifestante que entrou com um B.O. contra o repórter Ricardo Bastos do Hoje em Dia. Dia 09.08.2013 vai acontecer a audiência publica e ela convida quem estava no momento e quiser para testemunhar a seu favor.
10) Convite para o CineProut na Rua Buarque Macedo, 35, Floresta, para apresentar a proposta de um novo sistema econômico em substituição ao capitalismo.
11) Convite para participar da reunião aberta do COPAC, dia 15 de julho, as 19h, local a confirmar.
12) Convite para grupo de Parcour 13h no Viaduto Santa Tereza.
13) Frente Independente pela Memória, Verdade e Justiça de Minas Gerais convida para manifestação terça-feira, 16 de julho, às 15 horas no viaduto José Alencar para também realizar homenagem aos falecidos nas manifestações de junho.
14) Ainda tem alguns materiais emprestados para a cozinha da ocupação guardados que não foram devolvidos por desconhecimento de quem são os donos, temos que devolver, se souber de quem são os materiais avisar.
15) Comissão de Comunicação montou uma wiki, lugar para disponibilizar materiais.
16) Ato Popular Pela Diversidade, dia 14 de julho, 11h, Praça da Estação.
17) Aulão Publico sobre Democratização da Mídia, dia 14 de julho, 16h, debaixo do Viaduto Santa Tereza.
18) GT de Direitos Humanos confeccionou uma cartilha sobre o tema para difundir. Ajudar na divulgação. Ainda não marcaram a data da próxima reunião.
19) Relato do moco que no dia da manifestação quando estava voltando foi agredido pelos seguranças da Igreja Universal. Já esta em andamento um processo legal.
20) Informe de que um companheiro esta preso, Novato. Noticia de que o PAI-PJ já esta acompanhando-o.
21) SindUTE informa que já foram contatados para reunir com o governado dentro de 15 dias.

AVALIACAO DAS ULTIMAS DUAS SEMANAS (ocupação, APH, reuniões com os governantes e 8 Grande Ato):

Avaliação da Ocupação:

1.1) Ganhos: Foi um processo importante que teve ganhos concretos: a redução da passagem (para alguns isso não foi um ganho uma vez que foi feita por meio da isenção de impostos das empresas), a pressão que exercermos resultando em reuniões com os governantes, momento rico de politização para muitas pessoas equilibrado com um caráter cultural.
1.2) Erros: Cometemos alguns erros e é importante fazer analise e autocritica com tranquilidade para identificar os problemas, uma vez que ocupar é um importante instrumento de luta nosso.
1.2.1) Falta de uma divisão mais clara da APH e da ocupação, o que gerou prejuízo para ambas, para uma próxima eh interessante que saibamos dividir as pautas e fazer reuniões separadas;
1.2.2) Falta de autogestão mais organizada da ocupação, de ter reuniões de reflexão e avaliação, de gente para trabalhar mais pela manutenção da ocupação, o que acabou gerando desgaste e alguns conflitos;
1.2.3) Falta de uma conexão maior do movimento dentro com o movimento fora da Ocupação;
1.2.4) Falta de passarmos de forma mais clara sobre os ganhos da Ocupação e o porque da desocupação.
1.3) Observação: Precisamos ter paciência, pois esta sendo um processo novo, de aprendizado e construção conjunta e saber fazer autocritica de forma tranquila sem deslegitimar o movimento

Avaliação da APH

1) APH trabalhar com duas vias:
1.1) Via do dialogo e do debate – fortalecer a assembleia, os GTs e as plataformas virtuais para avançarmos e aprofundarmos o conteúdo de nossas pautas;
1.2) Via de ações diretas – atos nas ruas, intervenções, ocupações.
2) APH mais popular:
2.1) Necessidade de disseminar as assembleias em outras regiões e comunidades. (Obs: esse ponto esta sendo discutido no GT de Disseminação das Assembleias). Noticia de que em Contagem também começou a fazer assembleias e também estão querendo pensar em formas de integração.
2.2) Agregar mais os trabalhadores e sindicatos a APH;
2.3) Agregar os deficientes a APH (inclusive nos atentando ao fato de por exemplo não termos um tradutor de libras nas APHs, não ter legendas nos vídeos, dentre outros) e também incluindo a discussão da deficiência como pauta nossa também.
3) APH mais horizontal – avançamos no processo de construção desta, mas precisamos prestar atenção em alguns pontos:
3.1) Alguns apontam que ainda temos que ficar atentos a da voz e ouvir as pessoas que participam independentes, sem estarem em algum movimento organizado;
3.2) Necessidade de pensar formas metodológicas que impeçam o atropelamentos das pessoas independentes pelos movimentos (um ponto que talvez nos ajude seja exercitar o debate de forma a buscar consensos, para não cairmos em uma ditadura da maioria).
4) Ter atenção há recolocações exaustivas, falas repetitivas que acabam por exaurir, precisamos ter bom senso.
5) Dar continuidade as transmissões ao vivo.
6) Tivemos um avanço organizativo, por exemplo a discussão a respeito da metodologia da APH acontecer meia hora antes
7) APH tem o desafio de se fortalecer, se organizar e se ampliar para estarmos preparados para a próxima janela de oportunidade ano que vem na copa do mundo.
8) Trabalhar mais o debate sobre o capitalismo e como fazer ações contra os empresários, por exemplo os que estão por traz da questão do transporte.

Avaliação das reuniões com os governantes

1) Observação: reunião com o Anastasia foi pouco divulgada
2) Reunião com o Anastasia o favoreceu mais do que as nossas pautas politicas, pensar melhor nossas estratégias de negociação
3) Pedido de algumas pessoas para que fosse feito um informe sobre a reunião feita com o Lacerda e a feita com o Anastasia.(reuniões foram inteiramente gravadas e estão disponíveis no youtube)

Avaliação do Ato do dia 11.07

1) Avanço na unificação dos movimentos sindicais, mesmo ainda tendo problemas no movimento sindical;
2) Paralização dos ônibus no terminal do Barreiro foi excelente. Conseguiram realizar o piquete e os rodoviários decidiram parar;
3) Pensar sobre a capacidade de diálogos entre nós e os movimentos sindicais e com os trabalhadores;
4) Percepção a partir do ato de que ainda não estamos realmente unificados com o movimento sindical, pensar sobre como melhorar nossa relação.

DISCUTINDO AS PROXIMAS ESTRATEGIAS:

1) Evolução da APH no geral:
1.1) Aumentar o dialogo com os outros movimentos no pais e acompanhar outras mobilizações que forem surgindo pra gente ir se articulando;
1.2) Alternância de delegados na comissão de negociação;
1.3) Proposta de comissão de negociação ser composta por representantes dos GTs por terem maior conhecimento, pois faltaram contra-argumentos na reunião com o governador.
1.4) Melhorar nossas estratégias de negociação:
1.4.1) Ter mais foco na pauta levada, não levar os problemas simplesmente, mas chegar já com propostas efetivas.
1.5) Reflexão sobre representatividade da APH – visão de que a APH não tem o intuito de representar as pessoas, mas sim ser um canal de representação de ideias.
1.6) Momento de avançar nos GTs, para nos prepararmos para reuniões com secretariados do governo;
1.7) Aprofundar discussão de disseminação das assembleias, para avançarmos no principio da APH de ser popular;
1.8) Todos na APH devem fazer parte de algum GT, mas pensar em esquemas de participação daqueles que não podem estar presencialmente;
1.9) Os GTs são apenas um dos instrumentos e não tem como objetivo principal a mobilização de mais pessoas, isso vem como consequência, mas sim aprofundar as pautas, nos qualificarmos melhor para as reuniões de negociação e para difundir mais informação para a população acerca dos temas. Para mobilização temos que utilizar outros instrumentos;
1.10) Atos e intervenções itinerantes
1.11) Melhorar a divulgação para termos mais alcance. Usar internet como meio para discussão, ate para dar chance a pessoas que não podem estar presentes nas APHs de colocarem suas opiniões. Criação de Wiki com função de registro e de plataforma de discussão online.
1.12) Ter cuidado com xingamentos discriminatórios referentes a pessoas religiosas. Proposta de buscar contra-argumentos para discussões a respeito de ações de alguns representantes religiosos.

2) Evolução dos GTs:
2.1) Foco em se preparar para reuniões com os secretariados do governo;
2.2) Aumentar a divulgação e alcance dos GTs:
2.2.1) Publicar virtualmente pautas e atas de reuniões;
2.2.2) Abrir processos de discussões em plataformas online;
2.2.3) Divulgar materiais produzidos e utilizados pelos GTs para aprofundamento da temática;
2.2.4) Proposta de ter um representante de cada GT nas reuniões da comissão de Comunicação para fazer alinhamento
2.2.5) Divulgação de eventos (atos, reuniões, aulões, seminários, etc.) com mais antecedência e maior amplitude;
2.2.6) Repasse para APH dos avanços e dos processos de discussões dos GTs, ate porque embora os GTs sejam focados, são transversais, ou seja, um tema se enlaça no outro;
2.3) Melhorar a eficiência dos GTS: proposta de pegar uma assembleia para cada GT, fazer APHs temáticas para dissecar os temas e os GTs terem mais autonomia;
2.4) As reuniões de reforma urbana ainda não estão discutindo a questão da reforma agrária, chamar pessoas com mais conhecimento da questão;
2.5) Participação dos GTs nos Conselhos municipais, estaduais e federais ligados a suas temáticas.

3) Propostas de ações diretas:
3.1) Fazer vígilia na porta da prefeitura com programação politica e cultural de 24 horas direto;
3.2) Fechar todos os cruzamentos de acesso à Avenida do Contorno logo de manha;
3.3) Parar a praça sete as 7h para prejudicar os patrões e não os trabalhadores, mudar os atos para parte da manha;
3.4) Fazer catracaço na volta as aulas;
3.5) Fazer algo em relação as mortes,

DELIBERACOES:

1) Delegados para reunir com os secretariados do governo serão eleitos em reunião aberta chamada pelos GTs, quando forem marcadas as reuniões.
2) Ato em apoio a Ocupação da Reitoria da UFMG – 18/07/2013, quinta-feira, de tarde debates e a noite evento cultural. A programação será divulgada pelos respectivos organizadores do evento.
3) 11º APH - 21/07/2013, domingo, 15h, debaixo do viaduto Santa Tereza

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License