GT Democratização da Mídia

Sobre o GT

O GT de Democratização da Mídia é um dos grupos temáticos constituídos na Assembleia Popular Horizontal para discutir sobre a necessidade da democratização da mídia brasileira e propor ações nesse sentido nas esferas municipal, estadual e nacional.

O grupo é aberto e conta a colaboração de tod@s que tenham interesse nesse debate e vontade de mudar a triste realidade da mídia brasileira. Acompanhe as discussões também pelo grupo do facebook GT Democratização da mídia - APH

O grupo apoia e é apoiado pelas entidades:

-Associação Imagem Comunitária conheça a AIC
-Oficina de Imagens conheça a Oficina de Imagens
-Executiva Nacional dos Estudantes de Comunicação (Enecos) conheça a ENECOS
- Fórum Nacional pela Democratização da Comunicaçãoconheça o FNDC
- (Outras entidades que integrem o GT sintam -se a vontade para inserir seu nome e endereço eletrônico)

Além disso, depois do aulão promovido pelo grupo sobre "O marco regulatório das comunicações" o grupo se somou à campanha para expressar a liberdade e se comprometeu a ajudar na coleta de assinaturas para o Projeto de lei de iniciativa popular das comunicações.

Porquê democratizar a mídia brasileira?

Para construir um país mais democrático e desenvolvido precisamos avançar na garantia ao direito à comunicação para todos e todas. O que isso significa? Significa ampliar a liberdade de expressão, para termos mais diversidade e pluralidade na televisão e no rádio.

Ainda que a Constituição Federal proíba os oligopólios e os monopólios dos meios de comunicação, menos de dez famílias concentram empresas de jornais, revistas, rádios, TVs e sites de comunicação no país. Isso é um entrave para garantir a diversidade.

Pare e pense! Como o índio, o negro, as mulheres, os homossexuais, o povo do campo, as crianças, aparecem na televisão brasileira? Como os cidadãos das diversas regiões, com suas diferentes culturas, etnias e características são representados? A liberdade de expressão não deveria ser para todos e não apenas para os grupos que representam os interesses econômicos e sociais de uma elite dominante? Existem espaços para a produção e veiculação de conteúdos dos diversos segmentos da sociedade na mídia brasileira?

A concentração impede a circulação de ideias e pontos de vista diferentes. São anos de negação da pluralidade, décadas de imposição de comportamentos, de padrões de negação da diversidade do povo brasileiro.
Além disso, a lei que orienta o serviço de comunicação completou 50 anos e não atende ao objetivo de ampliar a liberdade de expressão, muito menos está em sintonia com os desafios atuais da convergência tecnológica.

A Constituição de 1988 traz diretrizes importantes nesse sentido, mas não diz como alcançá-las, o que deveria ser feito por leis. Infelizmente, até hoje não houve iniciativa para regulamentar a Constituição, nem do Congresso Nacional, nem do governo.

Diante desse cenário, entidades da sociedade civil e do movimento social se organizaram para encaminhar um Projeto de Lei de Iniciativa Popular das Comunicações para regulamentar o que diz a Constituição em relação às rádios e televisões brasileiras. A marca de 1 milhão e trezentas mil assinaturas colocará o Projeto de Iniciativa Popular por Mídia Democrática em debate no Congresso Nacional!

Vamos mudar a história da comunicação brasileira levando às ruas o debate da democratização da comunicação.

Como?

KIT COLETA

Todo cidadão/cidadã pode buscar voluntariamente as assinaturas para o projeto. Disponibilizamos abaixo um kit com o material necessário para o diálogo nas ruas.

Observação importante sobre a “exigência” do título de eleitor: A exigência do título de eleitor feita pela Câmara dos Deputados para este tipo de projeto pode vir a dificultar a coleta. No entanto, acreditamos que é possível adotar uma política em que isto não seja um problema. Ou seja, NINGUÉM SEM TÍTULO DE ELEITOR VAI DEIXAR DE ASSINAR. Se a pessoa não tiver o título, pede-se o nome da mãe e a data de nascimento. O formulário já vai ter espaço pra isso. Em último caso, se a pessoa estiver com pressa ou se não quiser preencher o nome da mãe, pode deixar em branco essa parte.

- Folha de Rosto para coleta de assinaturas: endereço para baixar o texto explicativo para apresentar antes da coleta da assinatura

- Lista para coleta de assinatura/Lista de apoiamento: formulário para preenchimento dos dados do cidadão/cidadã que assinará o projeto endereço para baixar o arquivo

- Projeto de Lei da Comunicação Social Eletrônica Texto completo do Projeto de lei de iniciativa popular

- Kit Coleta em PDF com todos os materiais: folha de rosto, lista de apoiamento e texto do Projeto de Lei kit coleta completo

- Lei Comunicação Social Eletrônica projeto de lei versão simples e comentada

Marco Civil da Internet

(…)Espaço reservado para quem tiver domínio sobre o assunto.

Últimas notícias

Abraço em defesa da Rede Minas
Movimento Negro e a democratização da comunicação
Democratização da mídia é prioritária para defesa da soberania
Votação do Marco Civil da internet fica para segunda semana de agosto

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License