29/06 Belo Horizonte longe da Mídia

Relato Recebido

Prezados membros do dossiebh,

Segue email enviado por mim à redação da Carta Capital, onde tento traçar pontos centrais dos quais a mídia nacional não emite palavra alguma.

Peço que meu esforço de quebrar o isolamento presente de Belo Horizonte no que tange a dita "opinião pública" não se resuma ao meu esforço solitário.

Fui eu quem tomou o Spray de Pimenta naquele fatídico vídeo que antecipa o avanço criminoso da PM no dia 22/06. Peço veementemente que façamos de acontecimentos lamentáveis como esse deixem de ser regra em nossa cidade e só podemos fazer isso de maneira rápida e pontual anunciando as atrocidades aqui ocorridas em cadeia nacional.

Peço a força do CAAP para usar os veículos de imprensa que tiverem ao seu dispor para expandirmos o poder de nossas palavras.

Abraços!

De: cidadão comum ;)
Assunto: Belo Horizonte
Data: 29 de junho de 2013 12:34:38 BRT
Para: rb.moc.latipacatrac|oacader#rb.moc.latipacatrac|oacader

Prezado(a) sr.(a) redator(a) da Carta Capital,

Leio essa brilhante revista a algum tempo e de forma geral através dela me informo sobre várias questões de nosso país, todavia dessa vez venho pedir-lhes para que tratem de um tema que a muito aparece enquanto secundário nacionalmente, mas que a partir das manifestações que atingiram todo o país e da articulação à próxima eleição presidencial aparece imediatamente enquanto problema nacional.

A impressa mineira está amordaçada e a impressa nacional não publica absolutamente nada do que ocorre efetivamente em Minas.

A própria Carta Capital em sua última edição, "Ninguém controla a rua", se reduziu a pouco falar de Minas e Belo Horizonte em relação ao que foi dito sobre São Paulo, ou, de forma geral, o que foi dito sobre as manifestações no Brasil.

O povo mineiro, em geral, e o povo belohorizontino, em particular, precisam da ajuda da imprensa séria! Precisamos da Carta Capital, pois a mídia nativa é parte do estratagema político criado por Aécio Neves e continuado por Anastasia.

A partir de esparsas e incompletas notícias da grande mídia belohorizonte tentarei cobrir alguns ocorridos em Belo horizonte.

Hoje (29/06) ficou manifesta o poder das empresas de transporte público em Belo Horizonte.
(http://www.otempo.com.br/cidades/em-meio-a-tumulto-vereadores-aprovam-redução-de-r-0-05-na-passagem-de-ônibus-em-bh-1.672724)

Primeiramente foi marcada uma seção as 8:00 da manhã de sábado para votar, vejam só, as importantes questões relacionadas ao futuro do transporte de Belo Horizonte. Numa seção marcada pela violência policial (http://www.hojeemdia.com.br/minas/manifestantes-entram-em-confronto-com-a-guarda-municipal-na-camara-de-bh-1.141175), pelo impedimento de parte dos manifestantes em assistir a seção, pela ironia dos parlamentares que chegaram a rir quando os manifestantes anunciaram que a sessão não deveria ocorrer.
O principal resultado dessa sessão é a redução de 10 centavos na tarifa, ou seja, menor do que o aumento ocorrido no dia 31 de dezembro (R$ 0,15, a passagem passou de R$ 2,65 para R$ 2,80), sendo que todos os R$ 0,10 são decorrentes de redução tributária (de acordo com a primeira sessão extraordinária do dia 26/06, também feita em horário suspeito http://www.bhaz.com.br/camara-municipal-de-belo-horizonte-aprova/). As tarifas terão assim uma redução em geral de 3,57%, muito abaixo do anunciado pelo governo federal de 7,32% (como afirma o portal G1 http://g1.globo.com/politica/noticia/2013/06/dilma-propoe-5-pactos-e-plebiscito-para-constituinte-da-reforma-politica.html). Foi negada ainda a proposta que exigia a abertura de contas das empresas de transporte público na cidade.

A câmara permanece, neste momento, ocupada em Belo Horizonte por manifestantes.

Continua o silêncio do prefeito Marcio Lacerda.
Ao contrário do que se diz como regra nas manifestações dispersas pelo Brasil, em Belo Horizonte nós possuímos um comitê encarregado de organizar o movimento social: O COPAC – Comitê de atingidos pela Copa. Esse comitê revela em notas a ausência de dialogo com a prefeitura de Belo Horizonte, ao contrário da abertura de dialogo o prefeito se reduz a incitar a polícia a agredir manifestantes.
“Eu espero que, na próxima manifestação, a PM prenda mais. Prendeu muito pouca gente. A PM não está usando toda a força que tem, inclusive não está usando cassetetes. A estimativa é que existem 500 vândalos e o que falei hoje [segunda] para a segurança é que é preciso prender mais”, afirmou Marcio Lacerda (http://g1.globo.com/minas-gerais/noticia/2013/06/pm-prendeu-muito-pouca-gente-diz-prefeito-de-bh-sobre-protesto.html)
Em nota o COPAC afirma que
"Até o momento o Prefeito Márcio Lacerda não se dignou a abrir um canal de diálogo com os movimentos que hoje protestam. Limitou-se a enviar projeto de lei para reduzir a tarifa do transporte coletivo em valor irrisório, baseado em desoneração fiscal (nós vamos pagar!), sem alterar em nada os lucros milionários das empresas concessionárias do transporte público e sem revisar os contratos de que favorecem a máfia do transporte." (http://www.facebook.com/notes/atingidos-comitê-da-copa/nota-do-comitê-popular-dos-atingidos-pela-copa-copac-bh/486190021467971)

A censura da imprensa mineira criada por Aécio Neves

É da época de Aécio Neves a mordaça da imprensa mineira, ela não dá voz aos movimentos sociais e não tem a menor postura crítica ao governo de Minas e a prefeitura. Vemos na capa do Estado de Minas (o maior veículo de Minas) simplesmente a manchete: "Câmara aprova a redução das passagens em BH". Como ficou claro acima, essa redução que ocorreu está longe de ser um motivo de festa, mas a homepage do jornal encerra nisso seu comentário (está em anexo o screenshot do site do jornal).
Existem diversos vídeos na internet, nacionais e internacionais que comentam a repressão sofrida pela imprensa mineira desde a época de Aécio. Todos sabemos da demissão do Cajuru ao vivo por criticar Aécio.
http://www.youtube.com/watch?v=R4oKrj1R91g (Gagged in Brazil - Censura na Imprensa)
http://www.youtube.com/watch?v=UqEimwCupsQ (Aécio Neves - Liberdade essa palavra - Parte 1)
http://www.youtube.com/watch?v=H_aV9-lo8Pw (Aécio Neves - Liberdade essa palavra - Parte 2)

Nesse momento de manifestação popular a imprensa mineira revela novamente sua verdadeira face. A imprensa diz que foram os baderneiros que, no dia 22/06, criaram os confrontos que resultaram em diversos presos e pelo menos 3 gravemente feridos (http://www.hojeemdia.com.br/minas/manifestantes-feridos-em-protesto-permanecem-internados-em-bh-1.138910), mas a história é outra e prova disto é o video do qual participo (http://www.youtube.com/watch?v=eZHonpbTADo). Este é o exato momento que começa a repressão policial violenta, que levou a queda do primeiro homem do viaduto e ao ferimento de um senhor.
A imprensa mineira nativa (Globo Minas) mais uma vez inverte o caso e traveste a polícia violenta em heroína o que pode ser visto quando se afirma ao lado da imagem do senhor ferido que:
"Cinco militares ficaram feridos. Entre os manifestantes, um senhor foi atingido na cabeça, e saiu protegido por policiais." (http://g1.globo.com/minas-gerais/noticia/2013/06/confronto-entre-policiais-e-ativistas-marca-protesto-com-70-mil-em-bh.html)
Não é necessário discutir a verdade quando se vê esse vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=cysROmIPwc4

Fiz ainda um depoimento detalhado sobre o ocorrido no dia 22/06, segue link: (https://www.facebook.com/guihabib/posts/669658363048586)

A PM como o braço operativo da Ditadura de Minas.
A PM mineira está fora do foco nacional e aqui age repressivamente. Não preciso me aprofundar muito no tema, há uma larga quantidade de depoimentos na internet tratando do assunto. Me restringirei a lembra-los que a população de Belo Horizonte recebeu nesta quarta-feira dia 26 um toque de recolher. Cito aqui o que muitos ouviram pelas ruas de Belo Horizonte:
“Pessoas de bem – retornem para as suas casas – retornem para as suas casas – saiam da rua – todas as pessoas que estiverem andando pela rua poderão ser presas, entendido? – Andem somente no passeio – pessoas de bem – retornem para as suas casas – estamos restaurando a paz – existem muitos bandidos pelas
ruas – repito, estamos restaurando a ordem pública – a polícia militar está restaurando a ordem pública – pedimos às pessoas de bem que retornem para as suas casas – saiam das ruas – temos muitos bandidos ainda pelas ruas – o ato público foi encerrado – pessoas de bem, retornem para as suas casas – existem
muitos criminosos na rua – estamos devolvendo as ruas para o povo – a polícia está restaurando a ordem pública na cidade – estamos devolvendo as ruas para o povo de BH.” Dizia a voz metálica emitida em altíssimo volume por um mini trio elétrico da Polícia Militar do Estado de Minas Gerais andando lentamente pelas ruas de Belo Horizonte, no dia 26/06/2013. Este trio ia à frente de um grande comboio de viaturas da Polícia Militar e da Força Nacional, com dezenas de policiais andando, prendendo-as (simplesmente por estar andando na rua) ou simplesmente enxotando-as depois da grande manifestação acontecida ontem. (http://sintectmg.wordpress.com/2013/06/27/abaixo-a-repressao-pela-dissolucao-da-pm-aparelho-repressor-do-estado/)

Basta entrar em contato com os movimentos sociais belo-horizontinos e verás que existem muitas outras atrocidades para além das que aqui mencionei.

Imploro pessoalmente pela ação desse veículo a favor do povo mineiro!

Lembro que houve um assassinato premeditado nessa quarta!
Em nota esclarece a COPAC:
Sobre os confrontos entre manifestantes e Polícia Militar, mais uma vez pessoas caíram do viaduto da avenida Abrão Caram com Antônio Carlos, o que culminou na morte de um jovem de 21 anos. O Copac havia alertado o Governador do Estado em reunião quanto a este risco, pois na última manifestação do dia 22 de junho quatro pessoas já haviam caído do mesmo local. A prefeitura também foi alertada na reunião da Comissão de Prevenção à Violência em Manifestações Populares do Ministério Público Estadual e nada fez. Ficou acordado a colocação de uma proteção da mureta, ou o impedimento de acesso ao viaduto, o que foi descumprido. A própria PM solicitou a PBH a colocação de um gradiu fixo, nem mesmo assim a Prefeitura se preocupou em isolar a área ou alertar para o risco de queda. Isolar o mineirão privatizado a ferro e fogo sim, isolar uma área perigosa para proteger vidas humanas, não. O Governo do Estado e a Prefeitura de Belo Horizonte terão que arcar com o ônus dessa morte premeditada. (http://www.facebook.com/notes/atingidos-comitê-da-copa/nota-do-comitê-popular-dos-atingidos-pela-copa-copac-bh/486190021467971)

A população de Belo Horizonte está abandonada pela grande mídia e a mídia que defende um governo menos despótico deveria olhar com carinho o que anda ocorrendo em aqui.

Por fim, ficará o apelo político. Se as diversas violências sofridas em Minas não forem levadas ao conhecimento de toda a nação haverá uma tendência a vitória de Aécio Neves nas próximas eleições. Aécio foi o criador do que vivemos hoje, ele é o padrinho político de nosso governador e prefeito, ele é criador da repressão e da censura e é o político que se aproveita das manifestações (http://aecioneves.com.br/sala-de-imprensa/noticias/psdb-divulga-nota-sobre-manifestacoes-que-ocorrem-em-todo-o-brasil/)

Continuamos sem metro, sem dialogo com o governo, com um transporte público que mata, com obras feitas a mercê de qualquer fiscalização, com vias que são feitas sem projetos, com uma prefeitura que não tem entrada para cidadãos comuns (sim, já tentei visitar a prefeitura e não há entradas para visitantes), etc. etc. etc.

Estou absolutamente aberto à Carta Capital. Quaisquer dúvidas que tiverem poderão me contatar imediatamente.

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License