Depoimento de uma ex-vendedora sobre quebra-quebra na Toulon

Segue abaixo o depoimento de uma ex-trabalhadora da Toulon, que foi depredada recentemente no Rio e cujo proprietário tem pagado de vítima na televisão.
O depoimento é anônimo para a proteção da trabalhadora.
Escolha um lado.

0u94utnrp13s3oqpf4cahdzqr.jpg

Eu tô vendo um monte de gente incomodado com o quebra-quebra na Toulon. Sei que é polêmico o que eu vou dizer, mas eu, como ex-vendedora de loja, que trabalhava de 12/14h por dia em dias de grande movimento, sem ganhar hora extra, sem salário fixo, sem descanso no fim de semana tendo que chegar cedo pra limpar loja, tendo a bolsa e o corpo revistado ao sair, obrigada a bater meta, sob ameaça de ser mandada embora constantemente se não fosse rentável, tratada como produto da loja, obrigada a estar impecável, com as unhas e cabelos feitos no padrão da empresa (nada mais violentador pra mim do que ouvir que eu era um produto também), vou ser bem franca, se eu trabalhasse ali EU ADORARIA VER A LOJA ARDER.
Acho que eu acordava às 6h da manhã sonhando com isso todos os dias enquanto eu trabalhava em loja.
Imagino que muitos vendedores de loja de Ipanema hj acordaram pensando "Droga! Pq não foi a minha loja!"

PS:

"Peraí galera, só pra deixar claro, eu não trabalhei na Toulon. Trabalhei em algumas outras lojas, mas não na Toulon. Não que isso faça muita diferença, os abusos e a exploração é sempre a mesma."

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License